Por onde começa a Qualidade de Vida no Trabalho?

Descubra o que as melhores empresas para se trabalhar fazem para estimular a qualidade de vida no trabalho

Bem-estar, conforto, satisfação, felicidade, alívio, prazer, contentamento, o que todas estas palavras têm em comum com o seu trabalho? Todas elas são sinônimos de qualidade de vida. E como anda a sua qualidade de vida no trabalho?

É prazeroso estar todo o dia na empresa onde trabalha, dividindo o espaço com seus colegas, tendo a satisfação de que entregou o seu melhor e voltando com a sensação de dever cumprido para casa?

Se sim, parabéns!

Entretanto, sabemos que esta não é a condição da maioria das pessoas no mercado de trabalho. Por vezes, não existe afinidade com a atividade que exercem, não estão integrados ao time de trabalho ou, até mesmo, estão desencaixados do propósito da empresa. E isso tudo impacta na satisfação com o trabalho, bem como na sua performance e nos resultados da companhia.

Acontece que, para o alcance das metas da empresa, aqueles 110% de resultado, o produto agressivo do planejamento estratégico, é fundamental que o profissional esteja em equilíbrio na sua vida pessoal e profissional, e as empresas sabem disso.

Em maio de 2016, a Fundação Instituto de Administração (FIA), realizou a análise com mais de 100.000 pessoas e apontou qual a prática das 150 melhores empresas para se trabalhar e porque estas estão no topo do ranking.

Equilíbrio entre vida pessoal, profissional e familiar é o primeiro item na lista de avaliação dos profissionais. Conseguimos suportar por um período a falta de equilíbrio, mas com o passar do tempo, sem as compensações necessárias, acabamos perdendo esta queda de braço se a devida atenção não for dada.

MUITAS EMPRESAS, COM O FOCO NA QUALIDADE DE VIDA, ESTIMULAM A PRÁTICA DE ESPORTES E REALIZAM EXAMES MÉDICOS FREQUENTEMENTE COM SEU TIME PARA MAPEAR A SAÚDE FÍSICA E SEU CONSEQUENTE IMPACTO NA SAÚDE EMOCIONAL.

Outra alternativa para elevar a qualidade de vida, é a flexibilidade de horário de trabalho. Muitas empresas por saber do empenho que seus profissionais têm para entrega de resultados de curtíssimo prazo, dedicam-se à corporação de madrugada, à noite ou de final de semana. Como forma de recompensar este comprometimento, adotam a política de flexibilizar alguns horários para eventos familiares como apresentação de ballet ou final do torneio de futebol dos filhos.

O home office, dentre todos os outros, talvez seja a prática com maior aderência entre as empresas. Ao fazer a entrega de casa, o profissional consegue manter o foco no trabalho proposto, evita interrupções com demandas menos prioritárias praticadas pelos seus pares e consegue dedicar uma ou duas horas a mais caso seja necessário. Com a devida disciplina, é um recurso extremamente válido, com uma proposta de valor interessante para a empresa.

Cabe lembrar que o equilíbrio é sempre o pai de todas as decisões. Isso significa dizer que, da mesma forma como é válido o trabalho de casa, é de extrema importância a atuação na empresa, para acompanhar o ritmo de trabalho, bem como se manter alinhado à cultura da empresa.

Há que se considerar que, na mesma análise da FIA, líderes se sentem mais pressionados a produzir e trazer resultados do que liderados. Para este caso específico, é importante uma autorreflexão a respeito de sua agenda. Nem todos são bons em tudo.

Deixo o convite para considerar a busca de um processo de coaching para contribuir em sua priorização de ações, delegação de tarefas, organização do seu tempo e maior conforto e contentamento no desempenho das suas atividades.

Mais importante do que a empresa estar focada na qualidade de vida no trabalho do seu funcionário, é você estar focado em o quanto equilibrar vida pessoal e profissional pode aumentar os seus resultados a médio/longo prazo.

Faça a sua reflexão de como anda você com suas atividades. O importante é ter felicidade na jornada e aumentar seu nível de satisfação com o que faz e, principalmente, como vem fazendo.