4 Lacunas que separam você do seu objetivo

Conheça como seu cérebro funciona e descubra o caminho de como chegar lá.

Apenas uma pequena parcela da população consegue, primeiro: ter objetivos claros; segundo: alcançar seus objetivos.

Se você quer saber quem não tem objetivo claro, basta olhar as pessoas no dia 31 de dezembro e as promessas que estão fazendo para si mesma (sim, porque se dividirem com outras pessoas, vão ter a responsabilidade de, se não fizerem, justificarem porque não foi feito) de forma repetida, ano a ano, as mesmas coisas.

Este comportamento demonstra que são objetivos estimulados por uma situação. E que não vivem realmente dentro de você.

Mas este é só o início da nossa conversa. Aqui vamos tratar de forma simplificada de como nosso cérebro entende os objetivos e como fazer para conseguirmos lidar com estas situações e, por fim, colocarmos mais conquistas na nossa caixinha de experiências.

Abstrato & Concreto – toda vez que sonhamos ou idealizamos algo esta ação está no universo abstrato. Este universo permite tudo, e aqui mora o problema. Quando saímos da realidade existente e passamos a visionar o futuro intercorrências ou impeditivos não estão presentes.

Assim que começamos a materializar de alguma forma os passos para que os objetivos aconteçam, como por exemplo: quero viajar com a minha família. Começo a ver a agenda de cada um que vai na viagem, defino o local, compro as passagens, verifico o clima, monto as malas, todos estes passos começam a trazer o seu objetivo do plano abstrato para o plano concreto.

Só que este é um objetivo simples. Quando falamos em futuro ou realidades futuras o que impacta para que consigamos chegar lá são as distâncias que existem entre nossa realidade e a futura realização. Nem sempre temos todos os recursos necessários para trazer resultados e isso pode, e muito, impactar para que não aconteça.

Existem 4 tipos de distâncias:

Distância Social –

Muitas vezes para que o futuro acontece mais pessoas devem estar engajadas nas tarefas. E, na maioria dos casos, aquele futuro ou objetivo não pertence à elas. Isso gera a distância social, ou seja, a distância entre as pessoas que estão alocadas para fazer o projeto. Uma forma de minimizar esta distância é se colocar no lugar do outro e gerar empatia. Conectar-se com as intenções do interlocutor pode contribuir para que ele também se conecte às suas intenções.

Distância Temporal –

Uma forma simples de reduzir as distâncias temporais é a autoimposição de prazos para sua realização ou alcance do resultado. Em uma pesquisa realizada pela universidade de Duke, o professor permitiu que os alunos estabelecessem seus próprios prazos de entrega até o final do semestre. O resultado desta ação, é que todos tiverem um desempenho maior na atividade e realizaram a tarefa em um prazo menor.

Distância espacial –

Por vezes temos maior controle sobre este tipo de distância. Pois quando estamos fisicamente mais próximos dos meios que farão concretizar nossos objetivos, isso encurta a distância espacial e permite que as ações sejam feitas e decisão decorrentes das ações aconteçam, oferecendo assim, maior resultado quando a distância espacial acontece.

Distância Experiencial –

Naturalmente o novo é desconhecido. Isso significa dizer que, por que você colocaria em risco a segurança do que você já tem por algo novo? Para reduzir esta distância, fazer degustações podem contribuir para que você fique mais próximo do seu futuro ou do seu objetivo. Esta tática é muito utilizada nas degustações ou Test Drive.

De forma resumida, para chegar perto do seu objetivo ao ponto de alcançá-lo, existem algumas estratégias mentais que contribuem neste processo.

O primeiro deles é que todo o novo traz desconforto. Trata-se de uma situação que ainda não foi vivida. Acontece que, este desconforto pode ser tão grande que o impeça de chegar lá. Para reduzir este risco, tenha sempre em mente de que todo o desconforto, por pior que seja é transitório.

Segundo, use a lei do afastamento. Se quer se aproximar do que realmente quer, se afastar pode ser uma boa opção. O que isso quer dizer? O estresse nos torna improdutivos e queimamos energia à toa. Quando nos afastamos daquilo que queremos vamos dar um descanso para nós mesmos e vamos voltar revigorados e mais produtivos.

Terceiro, uma excelente forma de encurta distâncias é conectar-se consigo mesmo. E a melhor forma de fazer isso é prestando atenção à respiração, ao movimento de inspirar e expirar. Ciclos de respirações profundas ajudam a diminuir o cortisol (hormônio do estresse) da corrente sanguínea, aumentando a oxigenação cerebral e avisando ao nosso cérebro que está tudo bem, e que é possível lidar com a situação, qualquer que seja.

Como podemos perceber, nossos objetivos estão em nossas mãos e agora já ficou bem mais fácil de chegarmos lá.

Estas são dicas preciosas que vão te colocar mais próximo daquilo que você quer. Mas me diga uma coisa: o que é mesmo que você quer?