Coach Aldo Novak discute a virtude da compreensão

Não ter medo de mudanças, e fazê-las aos poucos, em doses homeopáticas, para que passem despercebidas no dia a dia, até que, no futuro, tornem-se uma grande transformação.

Perceber que é possível encontrar opiniões distintas e ao mesmo tempo ambas estarem corretas, e ter a flexibilidade de aceitar coisas novas. Esses são alguns dos caminhos apontados pelo coach e conferencista internacional Aldo Novak para a busca da realização profissional e pessoal.

Porta-voz oficial dos livros e dos filmes “O Segredo” e “O Efeito Sombra”, de Deepak Chopra, e do documentário “Você Pode Curar Sua Vida”, de Louise Hay, ele chega hoje a Rio Preto para participar como convidado do curso de formação em coaching da Academia Brasileira de Coaching, que começa amanhã e vai até domingo. Ministrado por Rogério Martins, o curso é voltado para quem quer se especializar na área de coaching e aos que desejam aplicar suas ferramentas na vida pessoal e profissional. Ontem, Novak conversou com o Diário.

Diário da Região – Você disse que em Rio Preto vai falar sobre percepção. Qual a importância dela no nosso dia a dia?
Aldo Novak – Quando percebemos o mundo diferente de outras pessoas, entramos em conflito com elas. Num casamento, por exemplo, se duas pessoas têm visões diferentes, elas podem estar certas ao mesmo tempo, só que isso gera conflito, gera briga, acaba em divórcio. Duas coisas podem estar mutuamente certas, e ainda assim serem contrárias. Daí a importância da percepção. E quem está avaliando (que pode ser um coach, ou um empreendedor, um empresário) tem de entender que nem sempre o outro lado está errado. Mas nós não somos treinados assim. Desde crianças, parece que existe o certo e o errado. Isso é um erro de percepção que atrapalha a vida em sociedade. Temos de ter a compreensão e a humildade de entender que nem sempre estamos com a única certeza.

Diário – A falta dessa percepção atrapalha muito as relações no trabalho?
Novak – Atrapalha muito. Na vida pessoal e profissional vejo muito isso. As pessoas têm certeza, e as certezas geralmente as afundam. As dúvidas raramente afundam as pessoas na vida pessoal ou profissional, porque forçam a busca por mais informações. A certeza é que é o perigo. É fundamental que você compreenda mais a outra pessoa, os motivos que a levam a escolher A ou B. Aí você fica mais flexível para entender que a outra pessoa pode estar certa.

Diário – E como mudar a forma de pensar?
Novak – Há várias ferramentas feitas para integrar as decisões e mostrar que as aparas que eventualmente surgem acabam ajudando. É importante compreender, ter a flexibilidade de falar “vou esvaziar meu copo para poder colocar coisa nova nele”. O curso de coach em grande parte serve para isso, e mostra as ferramentas, que não são muito complexas, e são importantíssimas – porque raramente um problema pode ser resolvido no mesmo nível que ele foi criado. Se surgiu um problema na minha vida, se eu não fizer nada diferente, ele vai se repetir. O foco do coach é muito isso: é diferenciar o que você tem de fazer para mudar sua vida amanhã.

Diário – O medo de mudar ajuda a perpetuar o erro…
Novak – O medo de mudar é dramático. Muita gente tem medo porque acha que para mudar tem de fazer uma grande mudança, e fica receosa. A gente explica que a chave da mudança é mudar um pouquinho todos os dias, ajustando o rumo. Então, quando você começa a mudar um pouquinho, sabendo para aonde você vai, muda sossegado, porque não dói. Depois de algum tempo, você mudou muito, mas sempre com confiança e segurança.

Diário – O que diferencia pessoas obstinadas daquelas que ficam “patinando”?
Novak – É muito mais fácil acertar um alvo quando você olha para ele. Embora pareça uma coisa óbvia, muita gente patina porque, não tendo alvo, elas não olham para o alvo. Saber o que você quer é fundamental. A gente acaba às vezes abrindo mão dos sonhos por outras coisas que vão aparecendo, ou outras oportunidades, outras pessoas.

Serviço

Curso de Formação Intensiva e Certificação Profissional em Coaching, na Academia Brasileira de Coaching, de amanhã a domingo. Informações: (17) 3353-9444 ou 3021-6441.

Matéria publicada no jornal Diário da Região em 26 de fevereiro de 2013.
Por Graziela Delalibera.